Gravidez e Ômega 3




Mulheres que tomam suplementos de ômega-3 durante a gravidez e aleitamento satisfazem a ingestão recomendada


A ingestão inadequada de ácidos graxos de cadeia longa ômega-3 durante a gravidez e lactação está associada com resultados insatisfatórios de desenvolvimento neurológico do bebê, incluindo desenvolvimento da linguagem, resolução de problemas e aumento da hiperatividade nas crianças.


A Associação Americana do Coração recomenda a ingestão de ômega-3 (EPA e DHA) na dose de 3000mg por dia. Já muitos clínicos a recomendam na dose de 1000 a 2000mg, dependendo dos hábitos alimentares da pessoa e benefícios almejados desde que o ômega-3, além de benéfico para as gestantes e lactantes, é essencial para muitos aspectos orgânicos, incluindo a estrutura e função do cérebro, e equilíbrio do humor (depressão).


No entanto, devido a preocupações com a contaminação dos frutos do mar com metais pesados e PCB (ambos neurotóxicos), a suplementação via alimentos ficou extremamente prejudicada. As maiores fontes de ômega-3 são os peixes de carne escura como a sardinha, arenque, salmão e atum, principalmente na pele.


Consequentemente, especialistas vinham se questionando se as mulheres estariam recebendo suficiente ômega-3 durante a gravidez e lactação, não estando claro quão sério era o problema.


Um estudo canadense, recentemente publicado em Applied Physiology, Nutrition, and Metabolism, e conduzido por Cathrine Field, da Universidade de Alberta, comparou a ingestão dietética de 600 mulheres grávidas e lactantes (grupo participante do estudo APrON) e descobriu que apenas 27% das mulheres grávidas e apenas 25% das lactantes atendiam à dose de 200mg de DHA/dia.


A idade média das mulheres no estudo foi de 31,6 e elas eram na maioria europeias, casadas, com boa renda familiar e possuíam formação universitária. Aproximadamente 1/3 delas tomava um suplemento de ômega-3, sendo estas as que se aproximaram mais da ingestão ideal.


Os resultados foram dramáticos e preocupantes. Em suma:


  • Quase três quartos das mulheres no estudo não estavam recebendo suficiente ômega-3 (DHA) durante a gravidez e lactação.

  • Quase 90% das mulheres que confiavam na dieta por si só não estavam recebendo suficiente DHA.

Segundo a conclusão do estudo, com o uso da suplementação de ômega-3 ocorreu melhora significante da ingestão do DHA necessário para a saúde do bebê e da mãe.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
CONTATO

CENTRO POMERANO  DE REABILITAÇÃO

Rua Hermann Miertshink, 390

Santa Maria de Jetibá-ES

CLINICA SAÚDE PLENA

Rua Ricardo Loureiro, 19 - Vila Anita

Santa Teresa-ES

27 99943-0814

nlucianna@hotmail.com

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone
Contate-nos